É neste domingo, dia 29, a ação social com foco na prevenção das doenças na boca

Neste domingo, dia 29, o Conselho Regional de Odontologia de Goiás (CROGO), em parceria com a Prefeitura de Aparecida de Goiânia e outras entidades, realizará a ação social ‘Doença na boca existe, prevenção é a melhor estratégia’, cujo objetivo é fechar as comemorações do Mês do Cirurgião-Dentista com a conscientização da população, diagnóstico precoce e incentivo à prevenção.

A ação social será das 8 às 14 horas, na Praça da Família, localizada na Rua Abraão Lourenço de Carvalho, Centro de Aparecida de Goiânia, em frente ao  Aparecida Shopping.

Durante a ação social, cirurgiões-dentistas farão o diagnóstico precoce na população presente e darão orientações sobre prevenção e combate às doenças bucais. Haverá ainda atividades relativas ao Projeto Sorriso da Uniodonto e distribuição de kits de higiene bucal.

Inúmeras doenças na boca

De acordo com o professor titular da Universidade Federal de Goiás (UFG), Dr. Elismauro Francisco Mendonça, do Departamento de Ciências Estomatológicas e vice-coordenador do Centro Goiano de Doenças da Boca (CGDB), a cavidade oral pode ser o sítio de inúmeras doenças e algumas podem manifestar-se inicialmente nela.

 “Na boca, podemos ter doenças de origem bacteriana, viral, fúngicas e mesmo de natureza incerta. Pode ser uma simples afta até mesmo tumores benignos e malignos”, diz o professor. Dos tumores malignos, o principal é o câncer de boca, o carcinoma de células escamosas, também conhecido como carcinoma espinocelular. Esse é o tumor maligno mais frequente na boca.  O professor diz ainda que diversas doenças não bucais podem se manifestar na cavidade oral e, muitas vezes, podem ser o primeiro sinal de uma patologia. Um exemplo é a AIDS ou Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. “Muitas lesões ou infecções oportunistas manifestam inicialmente em cavidade oral e às vezes o paciente ainda não sabe que é portador do vírus. A presença dessas lesões ou infecções na boca podem levar ao diagnóstico primário da AIDS”, explica.

Na avaliação do Dr. Elismauro, é necessário entender que na cavidade oral não há somente dentes que também sofrem injúrias ou lesões, mas há língua, gengivas, mucosas e orofaringe e que a responsabilidade de investigar e diagnosticar lesões na boca é do cirurgião-dentista e do especialista em Estomatologia, especialidade da ciência responsável pela prevenção, diagnóstico e tratamento de lesões benignas e diagnóstico de lesões malignas da cavidade oral.  

“Nenhum profissional da saúde é mais capacitado do que o cirurgião-dentista para reconhecer alterações na cavidade oral que possam predizer a manifestação de uma doença. O cirurgião-dentista desempenha um papel fundamental no processo de prevenção, diagnóstico e tratamento das lesões presentes na cavidade oral”, conclui.

População desconhece a importância da Saúde Bucal

A doença mais comum na boca é a cárie. Em seguida, vem a doença periodontal, que compromete a gengiva e o osso alveolar. Depois, vêm as outras doenças relacionadas à imunidade, contaminação bacteriana, fúngica e viral. As mais drásticas são as neoplasias de origem dentária e não dentárias, como o câncer de boca.

Para o professor de Diagnóstico Oral, a grande maioria da população brasileira não tem o conhecimento da importância da Saúde Bucal por não ter acesso fácil ao cirurgião-dentista nem ao tratamento, embora o país disponha de uma das melhores Odontologia do mundo em termos de conhecimento científico e tecnológico.

O tratamento dessas lesões ou doenças é possível. Em Goiás, com a estruturação de muitos Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs) pelo SUS, tem sido possível atender os pacientes portadores de lesões. Na Faculdade de Odontologia (FO) da UFG, há o Centro Goiano de Doenças da Boca desde 1997, o qual propicia esse atendimento. No caso de lesão maligna, há o Hospital Araújo Jorge, da Associação de Combate ao Câncer em Goiás (ACCG) pronto para esse atendimento.

 SAIBA MAIS

Como prevenir doenças na boca?

·          Uma boa higiene oral e bons hábitos com a saúde bucal são fundamentais;

·         Exames periódicos com um cirurgião-dentista, com intervalos de seis meses a um ano;

·         Saber que muitas doenças ocorrem na cavidade oral;

·         Ter conhecimento de que o cirurgião-dentista  é o responsável pelas alterações presentes na boca;

·         Não esquecer que o tabagismo e o etilismo (ingestão de álcool) são os principais agentes carcinogênicos para o desenvolvimento do câncer de boca;

·         Ter ciência de que doença sexualmente transmissível ocorre em boca, portanto, hábitos sexuais seguros são fundamentais.